1 | Pensamento Crítico Contemporâneo: Alguns Representantes |

Formador: Vítor Oliveira Jorge (Professor Catedrático de Arqueologia, actualmente aposentado da Faculdade de Letras da Universidade do Porto)

Programa Pensamento Crítico Contemporâneo

«Por que é que sem Jacques Lacan se não entende Freud? E por que é que o primeiro deles disse que a relação sexual não existe? Ou que o inconsciente funciona como uma linguagem?

Por que é que se continua a fazer história das ideias, das mentalidades, das ciências e de tantas outras coisas apesar do que deixou dito e escrito Michel Foucault? O que é a arqueologia do saber?

Por que é que muitos não percebem que Jacques Derrida teve de desconstruir para nos abrir um modo novo, complexo e fluido, de reconstruir, de estar na vida e de pensar?

Por que é que a questão do género tem tanto a ver com a performatividade? Não só não se nasce mulher, como se é performativamente constituído(a) como tal: a mulher e o homem são um conjunto de actos que constantemente os confirmam enquanto tais… mas por que razão nunca se traduziu em Portugal a obra de Judith Butler?

A democracia grega já continha em si o gérmen da sua própria contradição… e… por que é que o poder necessita tanto da glória? Sem ler Giorgio Agamben não se entende nada do que passa na nossa contemporaneidade, e de como isso radica, em última análise, na teologia cristã tardo-antiga e alto-medieval…

Lenine é ainda importante? Pode pensar-se uma sociedade pós-capitalista, ou esta última ocupa todo o nosso horizonte como modelo? Por que é que Slavoj Zizek nos ajuda tão bem a entender Lacan, e com ele, por exemplo, cineastas como David Lynch?

O que fez Jean Baudrillard levar às suas últimas instâncias a indistinção entre o real e o virtual na nossa época? E Jean-François Lyotard, por que se interessou ele pelo sublime, na esteira de Burke e de Kant? Como podemos pensar agora todos estes autores, e tantos outros, como Deleuze ou Benjamin, ou Badiou, ou Rancière, não por uma motivação erudita, mas tudo ao contrário, por uma preocupação de entender criticamente, distanciadamente, para lá do ruído dos media e da banalidade (e portanto futilidade, inoperância, impotência) das explicações espontâneas e do mais-do-mesmo dos opinion makers?

Em suma, por que estamos numa crise muito profunda que ultrapassa a chamada economia e os estados, e tem a ver com uma das maiores mudanças nas relações sociais jamais vivida, e muito provavelmente com o esgotamento de um modelo capitalista que começou apenas há uns séculos, não é eterno nem sagrado? Como podemos inventar uma nova sociedade, um novo sentido de comunidade, de felicidade e de esperança?

O Curso de Pensamento Crítico Contemporâneo que começa na Livraria LerDevagar | LxFactory, Lisboa, no dia 21 de Outubro trata disto e de muito mais….

Em 2010, num curso semelhante, cheguei a sair da Faculdade à 1 h. da manhã tal o entusiasmo que o curso despertou. Inscreva-se. É um investimento que compensa.»

Vítor Oliveira Jorge